Conheça o Programa

A Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol, com uma visão macroeconômica do “Negócio Senepol”, criou um conjunto de ações e diretrizes, de abrangência nacional e internacional, visando a auxiliar e orientar os pequenos, médios e grandes criadores na superação dos desafios atuais e permitir que os novos investidores, principalmente pequenos criadores, possam avaliar seus animais e aproveitar as oportunidades oriundas desses resultados.

O PMGS surgiu como um novo marco estratégico para nortear os trabalhos de cada criador na seleção e no melhoramento e desenvolvimento da raça Senepol.

Seu objetivo principal é aumentar, de forma sustentável, a produtividade e a competitividade da raça Senepol, por meio de ações coordenadas e organizadas, gerando o máximo de benefícios a seus criadores e à pecuária de corte brasileira.

Cumprindo todas as fases (pilares) do Programa, foram definidos quatro objetivos específicos:

  1. Acelerar, de forma organizada, o melhoramento genético da raça Senepol, com um incremento exponencial em seu desempenho produtivo;
  2. Estruturar o Arquivo Zootécnico Nacional da raça Senepol (AZNS);
  3. Auditar e Certificar a Qualidade dos rebanhos participantes do PMGS visando à segurança e à qualidade dos produtos, agregando valor aos animais superiores, sua distinção comercial perante o mercado e a sustentabilidade econômica da raça Senepol;
  4. Internacionalizar a genética brasileira da raça Senepol para o mundo.

A Associação Brasileira dos Criadores de Senepol. A Associação recebeu a delegação nacional do Ministério da Agricultura para executar o Serviço de Registro Genealógico da raça Senepol com o intuito
de preservar o padrão e a soberania da raça, dando segurança aos seus selecionadores e investidores, e melhorar geneticamente o gado Senepol, garantindo o progresso da raça e da pecuária de corte do Brasil.

No intuito de organizar a parte operativa do programa, o mesmo foi dividido em quatro etapas, que chamamos de pilares estruturantes do PMGS. Dentro de cada pilar, são desenvolvidas várias ações relacionadas e gerenciadas de modo coordenado, para a obtenção de resultados que permitam atingir o objetivo estratégico do PMGS.

Os quatro pilares são:
4.1. Serviço de Registro Genealógico – SRG
4.2. Provas de Avaliação de Desempenho – Provas Zootécnicas
4.3. Melhoramento Genético
4.4. Avaliação Genômica – Seleção Genômica

A participação no PMGS é exclusiva aos associados da ABCB Senepol, ou seja, é mais um benefício para o sócio. A formalização da participação é feita mediante a assinatura do Termo de Adesão. A solicitação do Termo de Adesão poderá ser feita por email: pmgs@senepol.org.br.

A partir do momento em que o associado já tem, pelo menos, um animal com RGD em seu nome, ele pode aderir ao programa, participando do primeiro pilar, pois, ao aderir, ele já começa a usufruir de uma série de incentivos por parte da ABCB Senepol. A limitação mínima de animais será exigida a partir do momento em que o criador for realizar provas de avaliação intrarrebanho ou participar do Geneplus.

A adesão ao PMGS é gratuita, pois o programa é subsidiado pela Associação. Ao efetuar a adesão, o criador receberá o Certificado de Adesão, placa para colocar na fazenda identificando que o criatório é participante do PMGS e um troféu (mimo) com o afixo do criador participante.

Considerando os quatro pilares do PMGS, os gastos surgirão de acordo com o nível de participação que o criador deseja atingir. Alguns custos, como os rotineiros de registro de animais, o próprio criador já banca e não sofrerá alteração nenhuma. Caso queira participar do GENEPLUS/EMBRAPA, o criador entrará em contato diretamente com a coordenação do Geneplus. Para participar de alguma prova de avaliação coletiva ou da realização de prova intrarrebanho, o criador arcará com esses custos. E, finalmente, se enviar material para realizar avaliação genômica através do PMGS, parte desse custo será subsidiado pela ABCB Senepol, ficando a avaliação genômica bem mais em conta para os participantes do PMGS.

Na tabela abaixo, tomando como base os quatro pilares – Registro Genealógico (SRG), Provas Zootécnicas ou de Avaliação (PZ), Melhoramento Genético Geneplus/Embrapa (MGG) e Informação Genômica (IG), seu nível de participação pode ser medido da seguinte forma:

• Ao participar do Serviço de Registro Genealógico (SRG), quando aderir ao PMGS, você já estará no Nível 1, com 25% de Adesão. Os níveis 2, 3 e 4, conforme descrito na tabela, correspondem a 50% de Adesão, em que o criador é participante do SRG em mais um pilar, que pode ser: o de Provas Zootécnicas, SRG com Melhoramento Genético ou, ainda, SRG com Informação Genômica. Os criatórios que participarem somente dos níveis 1, 2, 3 e 4 não receberão o certificado de *PMGS Approved, porém, constarão na relação de criadores que já aderiram ao programa.

PMGS
NÍVEIS DE ADESÃO SRG PZ MGG IG % ADESÃO
 1º  x 25%
x x 50%
x x 50%
x x 50%
5º* x x x 75%*
6º* x x x 75%*
7º* x x x 75%*
8º** x x x x 100%**

* = PMGS Approved
** = PMGS Approved + Brazilian Senepol

• A partir do momento que participar de pelo menos três pilares, ou seja, a partir do Nível 5, já com 75% de Adesão, o criatório, após ser auditado pelos Técnicos do PMGS, poderá receber o certificado de *PMGS Approved.

• Para o criatório que participar de todos os pilares, atingindo o Nível 8, com animais que atendam a 100% de participação, ao serem auditados, os animais poderão receber o certificado de **PMGS Approved + Brazilian Senepol. Ou seja, animais Senepol com chancela oficial da ABCB Senepol, com Certificação de Qualidade Superior, resultando em agregação de valor e aumento de receita para o criador. Esses animais também serão credenciados a participar do Programa de exportação de genética (Brazilian Senepol), comercialização de sêmen, embriões e doadoras, que serão mais valorizados, em comparação aos demais.

A Embrapa – Gado de Corte, juntamente com o GENEPLUS. A ABCB Senepol envia o Banco de Dados com as genealogias e as informações de desempenho já cadastradas no sistema da Associação, bem como os dados genômicos já identificados. Os pesquisadores da Embrapa e do Geneplus realizam as correções e padronizações necessárias para o comparativo dos animais, geram as DEPs e classificam os animais de acordo com o desempenho de cada característica avaliada ou pelo IQG – que é o Índice de Qualificação Genética. Através das avaliações genéticas, é possível identificar os melhores touros e as melhores matrizes também, que deverão ser acasaladas produzindo uma geração superior geneticamente.

O IQG – Índice de Qualificação Genética tem por objetivo reunir, em um único índice classificatório, a contribuição genética de um animal para as características mensuradas e que compõem o objetivo da seleção. O índice estimado é ponderado pelos desvios-padrão das características incluídas e pelo grau de importância de cada uma. No Sumário 2018, foi calculado da seguinte forma respeitando os respectivos graus de importância:

IQG = 5%PN (Peso ao Nascer) + 25%TMD (Total materno do peso à desmama) + 15%PS (Peso ao Sobreano) + 10%CFS (Conformação Frigorífica ao Sobreano) + 20%PES (Perímetro Escrotal ao Sobreano) + 10%AOL (Área de Olho de Lombo) + 5%EGS (Espessura de Gordura Subcutânea).

O material mais fácil de ser coletado é o pelo da vassoura da cauda do animal (mesmo procedimento para o exame de paternidade), lembrando que este deve conter, no mínimo, 30 bulbos capilares de onde será extraído o DNA. Pode-se usar também o sangue do animal. Para isso, deve-se solicitar ao Departamento do PMGS os envelopes de armazenamento, que serão enviados gratuitamente para os participantes do PMGS. Para a genotipagem de touros (doadores de sêmen), pode-se utilizar o sêmen (sem necessidade da preservação criogênica) ou o restante da paleta de sêmen que foi utilizada no laboratório de FIV, caso queira colaborar com o Banco de Dados do PMGS para a genotipagem dos touros raros que ainda não tenham sido genotipados.

O próprio criador ou técnico inspetor credenciado pela ABCB Senepol. O importante é fazer a coleta de forma correta, armazená-la adequadamente e identificar a amostra com todos os dados.

Para o envio dos pelos, existe um envelope de armazenamento, para identificação do criador, do nome do animal, número de registro, sexo e a finalidade da amostra. Esse material deverá ser enviado para a ABCB Senepol, aos cuidados do PMGS, que organizará as amostras, codificará e enviará para o laboratório responsável para a extração do DNA. Através da Associação, o custo do exame para o criador participante do PMGS ficará bem mais barato. Se o criador enviar diretamente para o laboratório, o custo será integralmente cobrado sem o subsídio do PMGS.

O laboratório oficial conveniado com a ABCB Senepol é o DEOXI/NEOGEN, que ficará encarregado de extrair o DNA e armazenar a codificação genética em SNIP CHIPS de 50K. Ou seja, todas as informações genéticas do animal necessárias para realizar qualquer tipo de interpretação genômica, como paternidade, características de desempenho, de carcaça, morfológicas, de eficiência, e outras específicas, como fator mocho, gene slick, DM (Dupla Musculatura), comprimento de umbigo etc., ficarão armazenadas e, assim que os marcadores genéticos forem sendo validados, especificamente para a raça Senepol, os resultados vão ser interpretados e liberados para os criadores. Todas essas informações genômicas, bem como o banco de informações genealógicas, de desempenho, etc., irão compor o AZNS – Arquivo Zootécnico Nacional da raça Senepol, que será permanentemente alimentado com informações pelo PMGS, garantindo a soberania e o controle oficial das informações sobre a raça para a ABCB Senepol, responsável por tudo isso em nome do Ministério da Agricultura.

Após o DNA de cada animal ser extraído, o mesmo é enviado para a AGROPARTNERS Consulting, empresa gabaritada internacionalmente que ficará responsável por analisar e interpretar o resultado dos marcadores genômicos, ou seja, irá traduzir o resultado de forma que os criadores possam utilizá-lo na prática. Essa interpretação será enviada para a ABCB Senepol, e o PMGS irá encaminhar para os criadores participantes do programa
o laudo com as respectivas interpretações.

Após o DNA de cada animal ser extraído, este é enviado para a AGROPARTNERS Consulting, empresa gabaritada internacionalmente, responsável por analisar e interpretar o resultado. Essa interpretação
será enviada para a ABCB Senepol, e o PMGS irá encaminhar para os criadores participantes do programa o laudo com
as respectivas interpretações. Para que o PMGS tenha segurança para divulgar oficialmente a interpretação dos marcadores, os mesmos têm que ser validados cientificamente na raça Senepol. Nesse momento, temos dois: o gene Slick e o gene da Dupla Musculatura. Assim que tivermos a validação de outros marcadores de importância econômica, divulgaremos as interpretações, sem necessidade de realizar nova extração de DNA dos animais.

Dentre outras poucas raças no mundo, o Senepol é uma das que possui o cobiçado gene SLICK em seu DNA. Ele determina a maior capacidade de tolerar altas temperaturas ambientais sem redução da produtividade. A variação nesse gene em animais Senepol é uma das razões do grande sucesso da raça obtido ao longo de quase cem anos desde a sua formação. Portanto, é desejável que os animais possuam em seu DNA as duas cópias do gene SLICK contendo
variação, o que os torna muito resistentes ao calor e capazes de transmitir essa característica a 100% dos seus descendentes. Resultados possíveis: SS (genótipo com duas cópias favoráveis do gene), Ss (genótipo com uma cópia favorável do gene) e ss (genótipo com nenhuma cópia favorável). Notamos, também, que os animais homozigotos “ss” (sem nenhuma cópia favorável do gene) são peludos, ou seja, com excesso de pelo (que é uma característica indesejável na raça). Portanto, desclassificante para o registro.

O gene é responsável pelo desenvolvimento da massa muscular nos animais por conta da produção do fator de crescimento (GDF8 – fator determinante de crescimento do tipo 8) durante a fase embrionária. Apesar de causar o aumento da massa muscular nos animais, uma alteração nesse gene leva ao aparecimento de problemas reprodutivos e de manejo devido ao aumento da chance de ocorrência de distocia (dificuldade de parto), principalmente quando os animais carregam duas cópias dessa mutação. Também existe diminuição no teor de gordura na carne de animais com essa característica. Portanto, é desejável que os animais não possuam em seu DNA qualquer cópia do gene DM mutado, de tal forma que os touros e doadoras nunca tenham a chance de transmitir essa característica indesejável aos seus descendentes. Resultados possíveis: dmdm (genótipo homozigoto livre com duas cópias favoráveis do gene), DMdm (genótipo heterozigoto que possui uma cópia da mutação para dupla musculatura) e DMDM (genótipo homozigoto indesejável).

A segunda etapa do PMGS é direcionada para as Provas Zootécnicas, ou seja, as Provas de Avaliação de Desempenho, comumente chamadas de PGP – Provas de Ganho de Peso, que hoje envolvem muito mais do que ganho de peso propriamente dito. A Prova de Ganho de Peso (PGP) é uma dessas Provas Zootécnicas que testa o desempenho dos bovinos de corte e que objetiva a identificação de indivíduos geneticamente superiores para características de interesse econômico relacionadas principalmente ao potencial de crescimento e qualidade da carcaça. Atualmente, são avaliadas características relacionadas a crescimento, fertilidade, eficiência alimentar, conformação e, mais recentemente, qualidade da carcaça, graças à utilização do ultrassom.

Sendo assim, as informações dos Testes de Performance são muito importantes para o melhoramento genético do Senepol: no caso das fêmeas, para identificarmos os animais superiores, já qualificados em idade jovem para uso intensivo nos programas de TE/FIV e, no caso dos machos, para que identifiquemos os reprodutores superiores em desempenho, capazes de transmitir geneticamente essa sua capacidade superior, produzindo indivíduos com alto desempenho produtivo em rebanhos puros ou em sistemas de cruzamentos com outras raças.

Para isso, ao final da prova, os animais são ordenados de acordo com um índice composto por várias características e geralmente classificados nas categorias elite, superior, regular e inferior.

Sabemos que a influência do ambiente no desempenho dos animais é muito grande. Porém, com condições de manejo e alimentação semelhantes, é possível observar diferenças no desempenho dos animais altamente correlacionadas às diferenças de genética. Neste sentido, as Provas Zootécnicas são ferramentas importantes para auxiliar a identificação dos animais geneticamente superiores, uma vez que os animais participantes possuem idades semelhantes e são submetidos aos mesmos fatores ambientais e manejo. Essas provas podem ser realizadas em pastagem, semiconfinamento ou em confinamento total, dentro de sua própria fazenda. São chamadas de provas intrarrebanho, ou Provas Coletivas, que envolvem vários criatórios ou, também, de provas entre rebanhos. Normalmente, a Prova Coletiva é conduzida em uma central de testes (uma propriedade que tem a estrutura necessária para isso), para a qual são encaminhados animais de diversos rebanhos.

Cada uma dessas modalidades possuem normas específicas para serem chanceladas pela ABCB Senepol. As provas de avaliação também serão pré-requisitos para que os animais possam receber a Certificação do PMGS Approved. Para isso, cada criador deverá participar das provas de avaliação de desempenho, sejam elas intrarrebanho ou em centrais de avaliação, de preferência das provas chanceladas pela ABCB Senepol.

A princípio, o criatório já deverá estar inscrito no PMGS e enviará a solicitação de chancela e oficialização da sua prova intrarrebanho para o email pmgs@senepol.org.br. O PMGS entrará em contato
com o criador para agendar a visita prévia de um Técnico credenciado pelo PMGS (a escolha do técnico é opção do criador), que ficará encarregado de dar toda a orientação, o suporte técnico, estabelecimento do plano de trabalho e cronograma para a realização da prova, sendo necessário para isso pelo menos uma visita de coleta de dados e auditagem da prova. Todo o processo será realizado pelos próprios criadores inscritos no PMGS, em suas propriedades
ou em local previamente contratado, desde que atendam aos procedimentos mínimos estabelecidos pelo PMGS da ABCB
Senepol. Lembramos que o PMGS respeitará todos os objetivos de seleção estabelecidos por cada criatório.

Além de estar inscrito no PMGS e ter o acompanhamento do Técnico credenciado, o criador deverá atender aos seguintes requisitos básicos:
a) Formar um Grupo Contemporâneo com no mínimo cinco animais registrados, de sua propriedade, do mesmo sexo (fêmeas separadas dos machos), que serão submetidos ao mesmo sistema de manejo operacional e nutricional estabelecido pelo criador para avaliar os animais (podendo ser em regime de pasto e/ou pasto + suplementação e/ou confinamento);
b) O grupo também deverá ser dividido por categorias de registro: Puros (PO, PC1 e PC2), separados dos Mestiços (S1 e S2).
c) Após a definição do grupo, os animais deverão passar por um período de adaptação, com no mínimo 15 dias, ficando em regime semelhante ao que serão submetidos na prova;
d) O grupo contemporâneo deverá ter no máximo 90 dias de diferença de idade (entre o animal mais novo e o mais velho). Quanto menor o intervalo de idade, melhor;
e) Os animais participantes deverão estar, no mínimo, com processo regulamentar de Registro de Nascimento no SRG (pelo menos com comunicação de nascimento = pré-registro);
f) Preferencialmente, as provas devem iniciar na desmama dos animais (entre 7 e 8 meses de idade) e ter duração em conformidade com os objetivos e critérios de seleção dos criadores, podendo prolongar-se até a fase de terminação e abate (caso o criador queira mensurar rendimento de carcaça, qualidade de carne etc);
g) Durante as provas, poderão ser coletados vários dados, sendo necessários, no mínimo, os seguintes dados: pesos (inicial, quinzenal, mensal e final), Avaliação de Conformação Frigorífica, Umbigo, Membros Anteriores e Posteriores, Pelo, Circunferência Escrotal nos Machos e Avaliação do Trato Reprodutivo das Fêmeas;
h) Para a prova ficar bem completa, sugerimos realizar a Avaliação de Ultrassom de Carcaça;
i) Todos os dados coletados serão auditados pelos técnicos do PMGS e deverão ser encaminhados para o PMGS para compor o AZNS e o Sumário da raça;
j) Ao final da prova, os animais deverão ser ordenados por seu desempenho, de acordo com os critérios estabelecidos pelo criador em perfeita sintonia com o Técnico do PMGS, podendo ser estabelecido um índice composto por várias características, utilizando-se a classificação padrão de elite, superior, regular e inferior;
k) É recomendável também que os animais melhor avaliados na prova intrarrebanho, assim como os animais descartados (com defeitos), sejam submetidos a exame genômico, visando à validação de fenótipos para compor o AZNS.

A chancela das provas por parte da ABCB Senepol para os criadores inscritos no PMGS é gratuita, não tem custo nenhum. Além disso, a Associação colocará à disposição sua equipe técnica credenciada pelo PMGS, para dar todo o suporte necessário à realização da prova, oficializando os resultados obtidos. E o grande benefício oriundo das provas chanceladas é o Certificado PMGS Approved que os animais que se destacarem irão receber, conferindo, um diferencial junto ao mercado na hora de sua comercialização.

Para que a ABCB Senepol possa apreciar a solicitação de chancela a uma Prova Coletiva (extra rebanho), os organizadores deverão enviar, com pelo menos 30 dias de antecedência do início da prova, uma solicitação formal para a Diretoria e preencher o Formulário Padrão requerendo a oficialização, em que o solicitante informará os dados básicos da prova e assumirá o compromisso de atender ao Regulamento para a Oficialização de Provas Zootécnicas da raça Senepol.

A seguir, segue um resumo contendo algumas informações básicas do Formulário Padrão e do Regulamento, que deverão ser atendidas:
a) Denominação da Prova, nome dos responsáveis, local da prova, período da prova com fase de adaptação, cronograma de início, fim e datas de pesagens;
b) Relação com a quantidade de rebanhos e de animais participantes;
c) Equipe técnica responsável pela coleta de dados, acompanhamento das avaliações, processamento das informações e tabulação dos resultados;
d) Características básicas a serem avaliadas e um breve resumo dos procedimentos a serem adotados na prova;
e) A prova deve ter uma Comissão Técnica composta por, no mínimo, um médico-veterinário (RT da prova) indicado pelos organizadores e um técnico credenciado pela ABCB Senepol;
f) Os animais participantes deverão ter, no mínimo, Registro Genealógico de Nascimento – RGN na ABCB Senepol, e deverão ser divididos por categorias de registro: Puros (PO, PC1 e PC2), separados dos Mestiços (S1 e S2) e por sexo para a formação dos grupos;
g) Separar os grupos contemporâneos com o máximo de 90 dias do mais velho para o mais novo. Se necessário, formar dois grupos (duas etapas de prova);
h) Para a homologação da prova coletiva, o grupo deverá ser composto de, no mínimo, 15 animais oriundos de pelo menos três criatórios diferentes;
i) Há necessidade de uma visita técnica de Inspeção do SRG por dois técnicos indicados pela ABCB Senepol, que serão custeados pela associação, para validar registros e a conformidade com o Regulamento do SRG. Animais não conformes quanto ao SRG/Padrão Racial/Problemas de aprumos e reprodutivos serão desclassificados;
j) Dados da prova deverão ser disponibilizados e enviados à ABCB Senepol para inclusão no AZNS, ficando a definição de pesos para cada característica avaliada a critério dos organizadores da prova em função dos seus objetivos de seleção e melhoramento;
k) A prova deverá utilizar o selo PMGS em todas as suas divulgações e os primeiros colocados (1º, 2º, 3º) e os animais que receberem destaque especial deverão obrigatoriamente ser genotipados;
l) Não é obrigatório o uso de programas específicos de melhoramento genético nas provas, mas caso seja utilizado, este programa não poderá ser diferente do preconizado pelo PMGS;
m) Custos para a realização serão de inteira responsabilidade dos promotores e participantes da prova de avaliação.

AZNS é a sigla do Arquivo Zoogenético Nacional da raça Senepol, que consiste no plano de ação global proporcionado pelo PMGS, que tem como objetivo centralizar, armazenar e organizar o acervo de informações sobre a raça Senepol, como o Registro Genealógico, o desempenho produtivo e reprodutivo dos animais, de suas progênies e avaliações genéticas e genômicas, mantendo a autonomia e a soberania da ABCB Senepol sobre o banco de dados da raça, garantindo assim aos criadores e investidores a segurança necessária para o seu melhoramento genético sem nenhuma interrupção ou interferência que possa comprometer o desenvolvimento do Senepol no Brasil e no mundo.